Ver-te

Ver-te é como ter á minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas
estradas onde passa o sol poente

é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez
e nem mesmo meço a devastação do meu passado.

Ruy Belo

Anúncios

Poema

Ah, poder ser tu, sendo eu!

Ei-lo que avança

De costas resguardadas pela minha esperança.

Não sei quem é. Leva consigo,

Além de sob o braço o jornal,

A sedução de ser, seja quem for,

Aquele que não sou.

E vai não sei onde

Visitar não sei quem

Sinto saudades de alguém

Lido ou sonhado por  mim

Em sítios onde nunca estive.

 

 

Ruy Belo