Inútil

“Poesia é a virtude do inútil. Porque o inútil só presta pra isso mesmo, pra poesia, não presta pra mais nada não. É como um traste, uma coisa inútil mesmo, que está jogado por ai e tal”.

“poesia é uma coisa que a gente não descreve, poesia a gente descobre, a gente acha. Eu sou procurado pelas palavras, não tenho inspiração. Eu sou excitado por uma palavra, ela me excita, ela se apaixona por mim, as amigas que ela tem ai pelo mundo se encontram pelo cheiro pra desabrochar num poema e desabrocha em mim”.

Manoel de Barros

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s