O Impossivel Carinho

Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
– Eu soubesse repor –
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!

Manoel Bandeira

 

 

 

Anúncios

2 respostas em “O Impossivel Carinho

  1. Que maravilha é vir aqui e ler essas palavras colhidas por ti com tanto carinho e distribuidas como flores…

    Lindo poema!
    Feliz Natal, feliz ano novo!
    Que seja doce… como dizia Caio f.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s